Cursos Superiores

Os Melhores Cursos Superiores de 2017

Cursos Superiores, Dges Cursos

Terminar o ensino secundário, escolher um dos tantos cursos superiores existentes e entrar para a universidade, é sempre um passo importante no nosso percurso enquanto seres humanos e, muitas vezes, um degrau decisivo na entrada da idade adulta.

Não é só pelas mudanças que comporta – muitas vezes significa mudar de cidade, ir viver pela primeira vez sozinho ou com outras pessoas, etc. -, mas também porque exige uma decisão que vai influenciar todo o nosso futuro. Por isso, a escolha pelo curso superior a seguir não deve nunca ser feita por impulso, mas sempre com grande sensatez.

Primeiro que tudo deve ter em consideração a sua área de interesse e quais as características dos diferentes cursos que mais vão ao encontro dos seus interesses e motivações. Um bom exercício a fazer é imaginar onde se verá no futuro, daqui a 15 anos, tanto pessoal como profissionalmente. Pode também experimentar fazer testes vocacionais, mas procure informar-se sobre as diferenças possibilidades profissionais e respectivas saídas. Converse com amigos ou colegas que estejam formados e acima de tudo mantenha o foco nos seus objectivos pessoais.

Escolher um Curso Superior

Posto isto, e tendo avaliado todas estas questões, está então na altura em escolher o curso superior a seguir.  Pode ver os passos para a sua candidatura ao ensino superior aqui.

No entanto, a página oficial da internet do Ministério da Educação ou a página da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), disponibilizam todos os dados e estatísticas referentes tanto aos vários cursos superiores disponíveis em Portugal (DGES cursos), como às instituições de ensino nacionais (DGES cursos). Aí poderá pesquisar e analisar vários dados e números oficiais relativos aos últimos cinco anos lectivos (DGES índice de cursos superiores).

Deve também, analisar o ranking das melhores universidades portuguesas e ver as médias de acesso do ultimo ano letivo.



Também a Direcção Geral de Estatísticas da Educação e Ciência disponibiliza anualmente toda a informação relativa à empregabilidade e à taxa de desemprego relativa aos cursos superiores. Através destes números é possível que cursos superiores como Medicina, Enfermagem, Matemática e Informática não apresentam qualquer desempregado inscrito nos centros de emprego de todo o país. Ao todo, são 37 cursos com taxa de desemprego nula.

No lado oposto da tabela encontram-se cursos como Arquitectura, Criminologia, Serviços Sociais ou Design de Comunicação, que apresentam taxas de desemprego superiores a 25%. Isto significa que nestas áreas a oferta é inferior à procura, sendo cursos que, à partida, oferecem menos possibilidades de empregabilidade que os restantes. No entanto, estes dados, apesar de oficiais, devem ser sempre encarados e analisados com cautela. Nem todos os desempregados estão inscritos nos centros de emprego e, como tal, não há certezas de que todos eles são contabilizados nesta contagem.

No fundo, não existe uma fórmula correcta da melhor forma de escolher um curso e quais são os melhores a nível nacional.

Existem vários factores que deve ter em consideração e analisar de forma sensata, responsável e inteligente, mas no final a sua decisão deve ser tomada em função dos seus desejos, objectivos futuros e gostos pessoais.

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

To Top